Qual a importância da moral pública na política?

 

Qual a importância da moral pública para a política de um país? Defino moral pública, para os fins deste breve artigo, como o conjunto de valores morais compartilhados por uma sociedade no espaço público. A honestidade, por exemplo, é um valor que compõe a moral pública da maioria dos países. Ninguém defende publicamente a desonestidade, ainda que possa ser desonesto às escondidas.

A fim de desenvolver o raciocínio, vamos imaginar um país hipotético que chamaremos de Bunga-Bunga. Este é um exercício de filosofia política e filosofia moral. Não me refiro ao Brasil. Ainda que parte da classe política brasileira esteja seriamente envolvida em supostos atos de corrupção, há muitos políticos honestos. Além disso, seria inadequada uma classificação como a proposta para fins do exercício. Também acredito que a solução para qualquer crise política, inclusive para esta de proporções gigantescas, depende da própria política. Todos nós perdemos com a demonização da política. Sobre esse ponto, muito oportuno o artigo da juíza federal Clara Alves, que pode ser acessado aqui.

Voltemos ao nosso exercício de filosofia moral. Vamos imaginar que todos os políticos de Bunga-Bunga são desonestos, ou melhor, bandidos mesmo. Eles se dividem em duas grandes classes: os políticos classe A e os políticos classe B. Deve ser ressaltado que a sociedade de Bunga-Bunga tem uma moral pública parecida com a do Brasil, ou seja, desaprovam, pelo menos em público, atos de corrupção e desonestidade.

Os políticos classe A, são aqueles que têm vergonha pública de serem bandidos. Eles negam que são bandidos. Quando algum de seus correligionários é pego em atos de bandidagem, eles tratam de expulsá-lo do partido, desaprovam publicamente a conduta do flagrado ou adotam outras condutas para manter as aparências de que agem de acordo com a moral pública.

Os políticos classe B são aqueles que não têm vergonha pública de serem bandidos porque todos os políticos são bandidos, embora os políticos classe A escondam o fato. Eles supõem, com isso, estar sendo mais transparentes e sinceros. Quando são flagrados, os políticos classe B alegam, contra os políticos classe A, que (i) a moralidade pública não é tão importante; mais importante é o programa de governo. Alegam também que (ii) o programa de governo deles é melhor que o dos políticos classe A.

Acredito que o argumento (i) é, pelo menos em parte, equivocado. Sem o respeito à moralidade pública, todos os outros valores sociais ficam esgarçados. A partir do argumento de que a moralidade pública não é tão importante, condutas públicas até então reprovadas pela sociedade passam a ser admitidas com naturalidade. O corpo social perde controle sobre a conduta dos indivíduos, especialmente de seus representantes. A liberdade serve de justificativa para a prática de atos que são contrários aos valores do corpo social. Sem respeito à moralidade pública, passa a valer tudo.

Tenho dúvidas quanto ao argumento (ii) ser capaz de suplantar as razões de moralidade pública. Até que ponto estaria moralmente legitimada a escolha dos políticos classe B, considerando que são bandidos e não negam, em detrimento dos políticos classe A, por um eleitor que concordasse que o programa de governo dos políticos classe B é melhor que o dos políticos classe A?

E você? Votaria em quem?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s